O cão dálmata e a hiperuricemia: tratamento do problema do ácido úrico

Pergunta do dono do cão

"Olá! Estou a tentar fazer uma dieta para o meu cão dálmata e li que o dálmata tem tendência para a hiperuricemia. O que significa exatamente isto e como posso prevenir ou tratar este problema?"

Resposta do veterinário

"Olá! Hiperuricemia (produção excessiva de ácido úrico) significa que os níveis de ácido úrico no sangue do cão são demasiado elevados.

Os dálmatas são geneticamente predispostos a este problema porque os seus corpos decompõem e filtram o ácido úrico de forma diferente.

O ácido úrico é normalmente convertido em alantoína no corpo do cão, que os rins podem facilmente excretar. No entanto, na raça dálmata, este processo não funciona corretamente, o que pode levar a uma acumulação de ácido úrico e, consequentemente, à retenção urinária.

Dálmata 3

A formação de cálculos de ácido úrico pode ser evitada principalmente através de uma dieta especial.

A maior parte do ácido úrico provém das proteínas, especialmente da carne e de certas leguminosas.

A dieta dos cães com níveis elevados de ácido úrico deve basear-se em alimentos com baixo teor de purinas.

Esta dieta contém proteínas de alta qualidade, mas com baixos níveis de purinas – o que significa que deve conter mais proteínas vegetais e menos proteínas de carne. Os alimentos com baixo teor de purinas incluem ovos, leite e queijo, bem como cereais e vegetais.

É importante lembrar que a maioria das purinas se encontra em órgãos animais como o fígado e os rins, por isso evite-os na dieta do seu Dálmata!

Além disso, o seu cão dálmata precisa de líquidos suficientes para excretar cristais de ácido úrico através da urina, pelo que deve fornecer sempre água fresca ao seu cão.

>>  Comportamento caraterístico do Borzoi: Como lidar com os desafios alimentares?

Vale a pena acrescentar que a dieta, por si só, nem sempre é suficiente para tratar a hiperuricemia, pelo que vale a pena verificar regularmente os níveis de ácido úrico do seu cão com o seu veterinário, que poderá também recomendar medicação, se necessário!

Finalmente, lembre-se que todos os cães são individuais e o que funciona para um pode não funcionar para outro.

É por isso que é importante procurar aconselhamento personalizado junto do seu veterinário e, em conjunto, podem elaborar uma dieta e um plano de tratamento que funcionem melhor para o seu Dálmata."